Berlim

Desde a reunificação alemã, em 1990, Berlim tornou-se um ponto turístico cada vez mais popular. História convive com arte, cultura, tecnologia, boemia e política. Além de ser capital alemã, é a mais importante cidade-estado do país.

O centro histórico da cidade fica ao longo da avenida Unter den Linden com construções barrocas e neoclássicas, e na Ilha dos Museus, local de uma impressionante coleção de museus dos séculos 19 e 20. Ao sul da Unter den Linden fica o Checkpoint Charlie, herança da cidade dividida durante a Guerra Fria. O amplo espaço verde do Tiergarten e a Kurfürstendamm, centro da Berlim Ocidental, ficam a oeste. Nos arredores encontram-se os magníficos palácios de Potsdam, hoje quase um subúrbio de Berlim.

A noite em Berlim é uma vida à parte, com cafés resplandecendo pelas calçadas, pontos turísticos iluminados, sexshops em pleno funcionamento, boates com som techno em alto volume e festas underground como pouco se vê. Sede de um dos mais importantes festivais de cinema do mundo, Berlim tem seu dialeto próprio, o que não chega a ser problema para quem fala alemão, e muito menos para quem não fala.

O lado oriental vale como um bônus: andar por suas ruas revela outra cidade, talvez mais instigante, apaixonante e perigosa. Esteja onde você estiver em Berlim, por todos os motivos possíveis, fique atento a esta multifacetada cidade.

 

Informações

Código de acesso: 030

Centros de Informações: Chama-se Verkehrsamt e fica na Budapesterstrasse 45, dentro do Europa Center. Abre de seg/sáb das 8h30-20h30, domingos das 10h-18h30. Fornece gratuitamente mapas da cidade com as principais atrações, mas reservas de hotéis custam €2,50. Revistas especializadas se aprofundam nas informações, mas aí você vai precisar saber alemão. Zitty e Tip são completas e têm dicas de festas, música, cinema, teatro, trabalho, etc. Custam €1,50 e você pode comprá-las em bancas de jornal. Gratuitas são a 030, revista de programação e a Flyer, para os apreciadores de techno e dance.

Internet: Há muitos cyber cafes em Berlim. ACC Telecom no Europa Center cobra €2,50 por meia hora de acesso, funcionando das 10h-22h. Webtimes, Chausseestrasse 8, metrô U6 Oranienburgerstrasse, aberto de seg/sex das 9h-24h, finais de semana das 10h-24h. O preço/hora varia com o horário de acesso, das 9h-13h €3,60; 13h-18h €4 e das 18h-24h €4,50. Outras opções são o Alpha Café na Dunckerstrasse 72, no bairro de Prenzlauer Berg, e o Virtuality Café, na Lewishamstrasse 1, em Charlottenburg. Nas bibliotecas da Universidade de Humboldt, o acesso é gratuito.

 

Na cidade

Orientação

A capital alemã tem três pontos de referência: o Portão de Brandemburgo (Brandenburger Tor), o Europa Center e a Alexanderplatz. Considerada uma das cidades mais arborizadas do continente, parte de Berlim é cortada pelo rio Spree. A História também mudou a cidade. Após a guerra, foi dividida em quatro setores de ocupação: americano, francês, britânico e soviético. A construção do Muro de Berlim dividiu o último setor (oriental e socialista) dos demais, impedindo a passagem para o lado ocidental - capitalista. A queda do Muro em 1989 e a reunificação oficial da cidade em 1990 expuseram duas diferentes realidades sociais, culturais e econômicas que nasceram da divisão. Hoje é a cidade da eterna venda de pedaços do seu muro.

 

Chegando e saindo

Quem chega de avião, desce no aeroporto de Tegel. De lá para o centro da cidade (Zoologischer Garten) se vai com ônibus 109, 128 ou X9, sendo este último a melhor opção pela rapidez. Compre a passagem com o motorista ou na máquina que está na porta de saída do aeroporto.

São três as principais estações de trem: Zoologischer Garten, no centro, é a principal, com destinos para o leste e sul da Alemanha e a Europa Ocidental; Ostbahnhof, para algumas cidades alemãs e o Leste Europeu; e Lichtenberg, mais afastada, para trens noturnos com destinos diversos. Todas conectadas com linhas de metrô.

A estação de ônibus ZOB fica perto do complexo ICC (Centro Internacional de Conferência) e da Funkturm (Torre de Rádio), desça na estação de U-Bahn U2 Kaiserdamm; com destinos para as principais cidades do país e da Europa.

 

Circulando

Considerando ser a grande cidade da Alemanha com a maior frota de automóveis da Europa, o trânsito de Berlim é até bastante light. Todos os ônibus são identificados por números. Em alguns, o motorista avisa onde vai parar. As paradas (Haltstelle) têm uma tabela que mostra os horários dos ônibus. Consulte, o risco de erro é próximo de zero.

As passagens são vendidas pelos motoristas e também em máquinas automáticas. Têm validade de duas horas e servem para qualquer meio de transporte, custando €2. Também disponíveis tickets para um dia (Tageskarte) por €4 e para uma semana por €21. O transporte público tem um controle rigoroso, multando os espertinhos que não pagam a passagem. Então, esteja preparado para desembolsar no mínimo €30 se algum fiscal entrar no ônibus/metrô e você não estiver com o bilhete. Uma barbada é o ônibus 100, que faz o trajeto dos pontos turísticos sem que você precise pagar uma excursão. Durante a noite, Berlim oferece a Nachtlinie, ônibus que funcionam entre 22h-6h da manhã.

As linhas do metrô são diferenciadas por cores e seu uso é relativamente simples. Existem 15 linhas de S-Bahn, metrôs de superfície e outras 10 de U-Bahn, subterrâneos. O lado oriental da cidade ainda mantém o típico Strassenbahn (Tram), que são bondes elétricos. Confundir as linhas, pegar um ou dois trens errados e ir na direção contrária fazem parte da viagem. Aproveite.

Táxis custam caro e você pode ficar horas tentando conseguir um no meio da rua. Esqueça. Se você realmente for andar num, o melhor a fazer é procurar o ponto mais próximo, pelo menos no tempo você economiza.

E cuidado ao atravessar as ruas: você pode ser atropelado. E por uma bicicleta. Por toda a cidade há ciclovias dos dois lados, portanto dê mais que uma simples olhada, principalmente no verão. A Fahrradverleih, na Oranienburgerstrasse 16 (fone 2808432), aluga bikes. Uma hora custa €1,50, a diária €9 (€6 para cada dia a mais), e a semana sai por €13. Existe uma caução de €25 que é devolvida quando você retorna a bicicleta. Funciona de seg/sex das 10h-13h e 13h30-18h, sábados das 10h-13h.

Porém, nada melhor para conhecer a capital alemã do que circular à pé, especialmente se o sol der o ar da graça.

 

Acomodação

Albergues HI

Jugendgästehaus Berlin. Kluckstrasse 3. Bairro Tiergarten. Fone 2611097/2611098, fax 2650383, e-mail: yh-berlin@youth-hostel.de. Do metrô U1-Kurfürstenstrasse, pegue a rua Potsdamerstrasse à esquerda, vire a primeira à esquerda e depois a primeira à direita. De ônibus, pegue o 129 saindo do Europa Center. Diária €12 para dormitório com até 12 camas, €17 para quartos com 3 a 5 camas, e €21 para quartos duplos, pagamento só em dinheiro. Lençóis e café da manhã incluídos. Lock-out 10h-13h. Curfew 24h, abre a cada meia hora. Lockers no quarto. São 365 camas. Tem sala de TV, internet e lavandeira (€4 para lavar e secar). Jantar ou almoço por €5.

Jugendgästehaus am Wannsee. Badeweg 1. Bairro de Zehlendorf (fora do centro, uns 15min de metrô). Fone 8032034, fax 8035908, e-mail: yh-wannsee@youth-hostel.de. Saindo do metrô S1 ou S7 Nikolasee, atravesse a ponte até Kronprinzessinnen, siga à esquerda e a primeira à direita. Diária de €17 em quartos de 4 camas, café da manhã incluído. São 288 camas. Lockers no quarto. Sem curfew. Lock-out 9h/12h. Dispõe de lavanderia (€5 para lavar e secar), sinuca, sala de TV e ping-pong.

 

Albergues Independentes

Jugendgästehaus am Zoo. Hardenbergstrasse 9. Bairro de Charlottenburg. Fone 3129410, fax 3125430. Atravesse os trilhos da estação do S-Bahn Zoologischer Garten, ande 5 ou 10 minutos na direção contrária ao Europa Center. Fica em frente à universidade técnica de Berlim (TU). Diárias de €18 em dormitórios com 4 camas ou €24 por um quarto single e €44 por um quarto duplo. Acima de 27 anos, €3 a mais. Lock-out 10h-14h. 85 camas. Tem bar e TV. As condições de limpeza em geral deixam a desejar.

Jugendgästehaus Central. Nikolsburgerstrasse 2-4. Bairro de Wilmersdorf. Fone 8730188, fax 8613485, e-mail: berlin@jugendgästehaus.central.de. Saindo do metrô U9 ou U1 Spichernstrasse, pegue a rua Hohenzollerndamm à direita e dobre na primeira à esquerda. Diária de €18 em quartos com até 6 camas. Se você não tiver saco de dormir, vai ter que pagar €3,50 pelos lençóis. Café da manhã continental incluído. Só aceita dinheiro. São 460 camas. Banheiro apertado, chuveiro no corredor. Curfew 24h, após, abre a cada 1 hora. Tem sala de TV e jantar disponível (€3), mas é preciso avisar antecipadamente.

Circus - The Hostel. Rosa-Luxemburg-Strasse 39-41. Fone 28391484 / 28391433, e-mail: booker@circus-berlin.de. Metrô de referência: U2 Rosa Luxemburg Platz. O albergue fica em frente ao Volksbühne. Você pode caminhar da Alexanderplatz, atravessando a Karl Lieb Knecht Strasse. Recepção 24h. Diárias de €13/14 (alta temporada) em quarto de 6-8 camas, €16/17 em quarto de 4-5 camas, €18/20 num triplo, €21/23 duplo e €28/30 single. Tem 85 camas. Lençóis são obrigatórios e custam €2. Café da manhã disponível por €3,50. Banheiro e chuveiro no corredor. Prima pela limpeza. O albergue dispõe de internet a €0,50 o minuto inicial e €0,07 para cada minuto adicional.

Jugendgästehaus Deutsche Schreberjugend. Franz-Künstler-Strasse 10. Bairro de Kreuzberg. Fone 615 1007, fax 6146339. Metrô U6 ou U15 Hallesches Tor. Diária de €19 em quartos com 2 ou 3 camas. Café da manhã incluído, mas não os lençóis; €3 se não tiver os seus.

Backpacker. Chausseestrasse 102. Fone 28390965, fax 28390935, e-mail: office@backpacker.de. Saindo da estação de metrô Zinowitzerstrasse, procure o número do albergue. Diária de €13 e €15 (baixa e alta temporada) em dormitórios, €16 em quartos com 4 camas e €19 em quartos duplos. São 60 camas. Recepção aberta 24h. Banheiro com chuveiro no corredor. Café da manhã por €3,75 apenas para grupos, servido no restaurante embaixo do albergue. Lençóis por €2,50. Lockers gratuitos, cozinha disponível e internet também (€3/30min, €5/1h). Aluga bicicletas por €10 a diária. Conta com bar, organiza tours guiados em inglês e espanhol e tem mapas e informações gerais sobre a cidade. O mais curioso é a decoração de cada quarto. No mesmo prédio funciona um clube cultural brasileiro, com festas e capoeira.

Die Fabrik. Schlesischestrasse 18. Fone 7175104 6117116 / 6182974, e-mail: info@diefabrik.com. Saindo da estação U1 Schlesiches Tor à direita, você anda 5 minutos e está no albergue. São 110 camas. Diária de €15 em dormitório. O café da manhã custa €5. Banheiro e chuveiro no corredor. Aluga bicicletas: €5,50/12h e €10/1dia. A recepção funciona 24h. Muitos bares na redondeza. Fica a 5 minutos da East Side Gallery. Antigamente era uma fábrica.

Jugendhotel Berlin. Kaiserdamm 3. Fone 3221011, fax 3221012. Saindo da estação de metrô U2 Sophie-Charlotte Platz, você já está na rua certa. Diárias de €24 em quartos com 3 camas e €26 em quartos com 2 camas. Total 117 camas, café da manhã incluído. Quartos com banheiro e chuveiro. O albergue é limpo, seguro e tem sala de TV. Aberto 24h. Costuma receber esportistas. Funcionários atenciosos e simpáticos.

Hostel Berlin Frederik's. Strasse der Pariser Kommune 35. Fone 29669450, fax 29669452, e-mail: hostel@frederiks.de. Fica a 5 minutos da estação U-Bahnhof Weberwiese. Diária €11, em quartos Sleep In com mais de 7 camas, €12,50, de 4-6 camas, €14,50 em triplos, €16 em duplos e €24,50 em single. Lençóis custam €2. Recepção aberta 24h. Aluga bicicletas e tem acesso à internet.

Globetrotter Hostel Odyssee. Grüneberger Str. 23. Fone 29000081. Pegue o metrô até a estação Ostbahnhof, depois o ônibus 240 ou 147 até a rua do albergue. Diária €12/8 camas, €14/6 camas, €17/4 camas, €19/2 camas. Café da manhã não incluído (€2,50). Sem curfew. Tem bar e acesso à internet.

 

Comes & Bebes

Os berlinenses têm orgulho da Berliner Weisse, cerveja misturada com xarope de framboesa. Não tenha vergonha de lambuzar os dedos comendo Curry Wurst, oficialmente o prato típico da cidade. É uma salsicha com muita mostarda. Lágrimas escorrerão e não será apenas de felicidade. Outra opção imperdível são os restaurantes especializados em batatas. Você não vai acreditar no que eles são capazes de preparar. A influência turca está presente também na gastronomia de Berlim. O Döner Kebab, um tipo de sanduíche, e o Börek, uma massa folhada recheada com queijo, espinafre ou carne saem por €1,50 cada.

Visitas aos supermercados podem também reservar boas surpresas. Produtos acessíveis e uma variedade interminável de bebidas fazem a diferença quando o dinheiro está curto. Por isso, evite comprar comida em lojas que são ao mesmo tempo farmácia, locadora e laboratório fotográfico, pois os preços costumam ser maiores.

Uma boa opção é o Mensa, restaurante universitário da Humboldt Universität. Abre das 11h15-14h30. Os preços são realmente baixos e variam de €1 a €2,50. Você pode entrar com a carteira de estudante internacional. Outros locais interessantes são: Deponie n.3 é um bar na Georgenstrasse 1-3, embaixo dos trilhos da estação de Friedrichstrasse. É mais bar do que restaurante e na sexta e sábado tem música ao vivo, rock e blues, e sem couvert. Taba, na Chausse Strasse, exatamente em frente à estação U6 Zinnowitzerstrasse, é um restaurante especializado em comida brasileira, do tipo mamãe-que-fez. Feijoada, frango a passarinho e mandioca são os pratos mais pedidos, e o preço varia entre €5 e €10. Música ao vivo na sexta e sábado. Klo, na Leibniz Strasse esquina Pestalozzistrasse, é um bar/cervejaria diferente, com opções também de comida. Klo, em alemão significa privada, e adivinhe onde você senta para tomar uma cerveja num copo pra lá de original.

 

Atrações

Berlim pode ser conhecida a pé. Para os dias chuvosos ou frios, uma idéia é pegar a linha 100 que sai do Zoologische Garten e passa pelos mais importantes pontos da cidade. Para caminhar, há 3 núcleos básicos, de onde você percorre por mais de 30 atrações, sem precisar pegar ônibus. Basta ter fôlego.

Pariser Platz Metrôs S1, S25 e S2 Unter den Linden. O coração da cidade, sendo a divisa entre os lados oriental e ocidental. Até a 2ª Guerra Mundial era uma das áreas mais caras de Berlim. Saindo da estação, você vê: o Portão de Brandemburgo (Brandenburger Tor), o Memorial de Guerra Soviético, o Parlamento (Reichstag) e a rua Unter den Linden.

Alexanderplatz Metrôs U2, U5, S5, S3 e S7. Centro do lado oriental. Foi alvo dos bombardeios dos Aliados durante a 2ª Guerra Mundial. Depois de 1945 tornou-se a maior via de tráfego de Berlim. O espaço é aberto e você pode ver também o Weltzeituhr, relógio que mostra a hora nas mais importantes cidades do mundo, e o chafariz Brunnen der Völkerfreundschaft, que celebra a amizade entre os povos.

Europa Center Fica nas proximidades da estação central de trem Zoologischer Garten. É na verdade um shopping center cuja maior atração é um relógio d'água de 13m de altura. A área fora, em volta do Europa Center, reúne turistas e berlinenses no Weltkugelbrunnen (chafariz) para o happy hour, sendo um dos locais mais populares de Berlim. Na frente dele, fica um dos símbolo da cidade (para os berlinenses, ao menos), a igreja Kaiser-Wilhelm-Gedächtniskirche.

 

Atrações básicas

Brandenburger Tor (Portão de Brandemburgo) Metrô S1, S25 e S2 Unter den Linden. O grande cartão-postal de Berlim, construído entre 1788 e 1791 por Carl Gotthard Langhans, e o único portão que restou de outros 14 que eram utilizados como entrada e saída da cidade. A escultura que você vê em cima é a Quadriga, ou Siegegöttin, rainha da vitória.

Reichstag É a sede do Parlamento alemão. Fica na Platz der Republik, ao lado do Portão de Brandemburgo. Sua construção acabou em 1894. Incendiado durante o Nazismo, foi reconstruído no final dos anos 90 e "empacotado" em 1995 por Christo, um artista revolucionário americano.

Fernsehturm (Torre da Televisão) Na Alexanderplatz. Aberta diariamente das 9h-23h. É a construção e o ponto mais alto da cidade, com 365 metros de altura. De cima, Berlim pode ser vista num raio de até 40km, num dia claro. Mais fascinante ainda talvez seja à noite. Entrada €6. Para os mais afortunados, há um restaurante giratório.

Unter den Linden A rua mais famosa de Berlim, com mais de 250 anos. Metrô S1, S25 e S2 Unter den Linden, ou ônibus 100. Saindo da estação, caminhe no sentido oposto ao portão de Brandemburgo, em direção ao lado oriental. Foi construída em 1647 para que servisse como ligação entre o castelo na cidade (Stadtschloss) e o parque Tiergarten, que ficava além dos muros de Berlim. Seguindo pela Unter den Linden, você passa por outros prédios históricos, como a Deutsche Staatsoper (Ópera), ao lado da Babelplatz, aberta de seg/sex das 10h-18h, sábados, domingos e feriados das 14h-20h. Em estilo rococó, o teatro lembra um templo coríntio, sendo um dos mais populares de Berlim. À sua frente, está a Humboldt Universität. Construída entre 1748 e 1766, teve alunos ilustres como Marx, Planck, Einstein e os irmãos Grimm. Também perto da universidade (à esquerda) fica a Neue Wache, monumento construído em 1931 em homenagem aos heróis da 1ª Guerra Mundial, um memorial às vítimas do fascismo. Mais adiante está o Deutsches Historisches Museum, um dos principais museus sobre a História da Alemanha.

Kaiser-Wilhelm-Gedächtniskirche Breitscheidplatz. Esta igreja, construída em 1895, é o símbolo mais conhecido de Berlim ocidental. Foi severamente bombardeada em 22 de novembro de 1943, e sua ruína manteve-se preservada. Um campanário de 53m de altura e com 6 sinos foi construído ao seu lado. Entrada gratuita com exposição sobre a história da igreja. Abre diariamente das 9h-19h.

Berliner Mauer (Muro de Berlim) A maior atração da cidade não existe mais, para alegria (da maioria) dos berlinenses e do resto do mundo. Construído em 13 de agosto de 1961, o muro separou um mesmo povo em duas diferentes e distintas cidades: de um lado, socialista e de outro, capitalista. Berlim ocidental era praticamente uma ilha dentro da República Democrática Alemã ou Alemanha Oriental. Talvez um dos momentos mais significativos do século 20 tenha sido sua queda, 28 anos mais tarde, em 9 de novembro de 1989. Alguns pedaços do muro foram preservados, podendo ser encontrados pela cidade em vários locais: na Potsdamer Platz, dentro do Europa Center, no Ckeckpoint Charlie, perto da estação U1 Warschauerstrasse (maior trecho, uma verdadeira galeria a céu aberto) e dentro do cemitério Sophien Friedhof (abre das 8h-18h), na esquina das ruas Ackerstrasse e Bernauerstrasse (metrô S1 estação Nordbahnhof). Não se surpreenda caso encontrar ainda outro pedaço de muro perdido por Berlim. Em algumas ruas, há uma linha de paralelepípedos vermelhos, indicando onde a cidade era dividida.

Museum Haus am Checkpoint Charlie Friedrichstrasse 43-44. Metrô U2 Stadtmitte ou U6 Kochstrasse. Entrada €7/4 (estudante). Aberto das 9h-22h. O museu conta a história do muro de Berlim e as tentativas de fuga do lado soviético da cidade. Foram 5075 escapadas com sucesso e 239 mortes. Checkpoint Charlie era o ponto de passagem mais famoso entre os lados oriental e ocidental. Uma das atrações mais interessantes de Berlim, sendo hoje um exemplo na luta mundial pelos direitos humanos. Exibe filmes e documentários, contando também com biblioteca, café e pedaços originais do muro à venda.

Schloss Charlottenburg (Castelo) Spandauer Damm. Pegue o ônibus 109 que vai para o aeroporto de Tegel e desça ao lado do castelo. Aberto de ter/sex das 10h-18h, sábados e domingos 11h-18h. Entrada €8/5 (estudante). Era a residência de verão da rainha Sophie Charlotte. Hoje, além da beleza interna, uma rica coleção de porcelanas pode ser visitada em uma das salas. Outro destaque é o Schlosspark, um dos maiores parques de Berlim, nos fundos do castelo. Veja os 24 bustos de mármore de imperadores romanos e suas esposas datados de 1663.

 

Outras

Siegesäule (Coluna da Vitória) Abre segundas das 13h-18h, e de ter/dom das 9h-18h. Entrada €1. Fica no meio da Grosser Sterne, a rótula por onde circulam milhares de carros por dia. Existem 4 passagens subterrâneas para chegar até lá. A coluna tem quase 60m de altura e seu ponto mais alto ostenta a representação dourada de uma mulher. O monumento lembra a vitória prussiana sobre os franceses entre 1870-71 (o que resultou na unificação alemã), por isto ela olha em direção da França. São 285 degraus até o topo, oferecendo uma surpreendente vista do parque Tiergaten. A Siegesäule também é o ponto de partida/chegada da Love Parade, a maior festa techno do planeta, que acontece no mês de julho, com cerca de 1 milhão de participantes.

Gendarmenmarkt (Praça) Metrô U6 Französischestrasse. Saindo da estação, pegue a Friedrischstrasse até a Taubenstrasse. A praça é composta por 3 prédios em estilo clássico: a Casa de Concertos e duas catedrais idênticas, que foram construídas em homenagem à amizade entre Alemanha e França.

Konzerthaus (Casa de Concertos) Antigamente conhecida como Schauspielerhaus, foi reconstruída após a 2ª Guerra Mundial e tem este nome desde 1984. É o prédio mais importante da praça, por sua imponência e beleza.

Französische Dom (Catedral Francesa) Construída entre 1701 e 1705, foi a principal igreja da comunidade protestante francesa (Huguenot). O Museu dos Huguenot fica dentro da catedral. Entrada €2/1 (estudante). Abre de seg/sáb das 12h-17h, domingos 11h-17h, fecha segundas. Subir na torre de 40m custa €1,60/1 (estudante). O sino a cada hora toca uma melodia diferente.

Deutsche Dom (Catedral Alemã) Apesar do nome, é um museu com a exposição permanente "Questões da História Alemã" espalhada pelos seus 3 primeiros andares. Abre diariamente das 10h-17h fechando segundas, entrada gratuita.

Rotes Rathaus (Prefeitura) O prédio foi construído entre 1869 e 1891, sendo o centro do Senado de Berlim desde 1991. Não é permitida a entrada. Vale a visita pela fachada, lembrando o comunismo pela cor.

Potsdamer Platz (Praça) Região conhecida antes da queda do Muro como terreno morto, ou terra de ninguém, por não pertencer a nenhum país. É onde se localiza o Centro Sony, um complexo de arquitetura moderna com shopping center, cafés e cinemas. Abre de seg/sex das 9h-19h.

Schloss Bellevue Residência do presidente alemão. Fica na Bellevueufer, na margens do rio Spree, dentro do parque Tiergarten. A bandeira hasteada no centro do prédio significa que o presidente está em casa.

Nikolaiviertel (Quarteirão) Atrás da Prefeitura. Nas margens do rio Spree, é a parte mais velha da cidade, onde Berlim começou. Parece que o tempo parou ali. A construção foi fiel às primeiras casas e um fim de tarde tomando uma Berliner Weiße faz você voltar ao passado. A Nikolaikirche é a mais antiga construção de Berlim e a maior do quarteirão. Abre de ter/dom das 10h-18h. No passado uma igreja, hoje é um museu de arte medieval. Entrada €2,50/1 (estudante), quartas grátis.

 

Museus

Enquanto Berlim, antes dividida, junta suas duas partes num frenesi de renovação urbana raramente visto na história européia, suas coleções de arte, de uma inesgotável riqueza, são carregados de um lado para outro, reorganizados e reagrupados. Para realizar o velho sonho da cidade de se tornar capital cultural e artística não apenas da Alemanha como também da Europa, investidores e o governo têm gasto tanto dinheiro com os museus quanto com novos hotéis de luxo e extravagantes shopping centers.

O esforço mais impressionante foi a fusão, realizada em 1998, do Museu Dahlem, do lado ocidental, com o Museu Bode, do lado oriental, hoje sob o mesmo teto da Gemäldegalerie (Galeria de Pinturas) do Kulturforum (um dos centros culturais mais importantes da Europa), em Tiergarten. Seu acervo não tem concorrentes entre os mais de 170 museus existentes em Berlim, tanto pela amplitude quanto pela riqueza de europeus do século XIII ao XVIII. Uma única galeria abriga nada menos do que 20 Rembrandts.

Os que apreciam a arte do mundo antigo poderiam passar dias na Museumsinsel (Ilha dos Museus), um conjunto de cinco museus cujo destaque maior é o Pergamonmuseum, construído exclusivamente para abrigar o colossal Altar de Pérgamo do século II a.C. (um templo grego de 12m de altura com uma escada de 27 degraus que leva à sua colunata). Descoberto em 1864, ele foi transferido da Turquia para a Alemanha em 1902. O Ägyptisches Museum guarda o sublime busto de Nefertiti criado há mais de 3.000 anos e desenterrado em 1912 por arqueólogos alemães.

Somando tudo isso ao estimulante novo museu de arte contemporânea, o Harburger Bahnhof, instalado de modo brilhante numa estação ferroviária do século XIX inteiramente reformada, temos apenas uma simples amostra da mais notável compilação de obras de arte – dos primórdios da humanidade às vanguardas dos dias de hoje – na cidade que promete ser a vitrine do país no século XXI.

Para mais informações, visite www.berlin.de/orte/museum/

A entrada de todos os museus é €4 e €2, para estudante. O primeiro domingo de cada mês é gratuito.

Gemäldegalerie am Kulturforum. Tiergarten, Matthaeikirchplatz 8.
Museuminsel (Complexo de Museus) Ônibus 100, descer na frente da Berliner Dom. A área é na verdade uma ilha do rio Spree no centro da cidade com cinco museus - um dos maiores complexos da Europa. São cinco prédios distintos com uma arquitetura inspirada nos templos gregos.

Pergamonmuseum Bodestrasse 1-3. O prédio é dividido em três diferentes museus: Coleção de antigüidades, com o altar da cidade de Pergamon (séc. II a.C.) na Turquia, o portão do mercado de Mileto (séc. II d.C.), esculturas gregas, romanas e mosaicos. Museu da Ásia Menor, com o portão de Ishtar da Babilônia, fachada de tijolos do templo da deusa Innana em Uruk (cultura suméria) e relevos do palácio de Assumersipal II em Kulchu (séc. VIII a.C.). Museus de arte islâmica, com a fachada do castelo de Mhatta, paredes decoradas de uma casa em Aleppo (Síria) e pinturas. Abre de ter/dom das 9h-18h.

Altes Museum Entrada pelo Lustgarten. Construção em estilo romântico clássico. Abriga por hora coleções da Alte National Galerie, pinturas do século 19.

Alte National Galerie Entrada pela Bodestrasse 1-3. Uma das maiores coleções de pintura da Alemanha. Obras de Feuerbach e Menzel, além de Manet, Degas e Coubert.

Neues Museum Atrás do Altes Museus e próximo da National Galerie.

Bodemuseum Entrada pela Monbijou Brücke. Museu egípcio, com uma coleção de papiros, artes bizantina e cristã, além de pintura dos séc. 13 a 18.

Haus der Kultur der Welt (Casa da Cultura do Mundo) John-Foster-Dulles-Allee 10. Pegue o ônibus 100 no Zoologischer Garten e desça na frente deste prédio que lembra uma ostra gigante, utilizado em exposições de diferentes culturas.

Ägyptisches Museum (Museu Egípcio) Schlossstrasse 70. Você pode pegar o mesmo ônibus que vai para o castelo de Charlottenburg. Aberto de ter/sex das 9h-17h, sábados e domingos das 10h-17h, fechado segundas. O museu ocupa hoje o que um dia foi parte do castelo. Expõe o único busto da rainha Nefertiti existente.

Neue National Galerie Potsdamer Strasse 50. Aberta de ter/sex das 10h-18h, sáb/dom das 11h-18h. Exposição de obras do século 20, com destaque para os impressionistas alemães.

Topographie des Terrors (Topografia do Terror) Niederkirchnerstrasse esquina Wilhelmstrasse. Ônibus 341, 129 ou 248. De metrô, linhas U6 Kochstraße ou U2 Potsdamer Straße. A entrada é gratuita. Aberto todos os dias das 10h-18h. Era o local onde ficava o escritório central da Gestapo e da SS, documentando os crimes nazistas. Planos de genocídio, perseguição e morte de judeus foram arquitetados neste local.

Beate Uhse Erotik-Museum Kantstrasse esquina Joachimstaler Strasse. Fica entre o famoso Café Kanzler e a estação Zoologische Garten (Bahnhof Zoo). Entrada €5. Abre diariamente das 9h-24h. São cinco andares dedicados à história do sexo. No térreo, um sex-shop oferece tudo o que existe para satisfazer dos puritanos aos mais sádicos.

 

Igrejas e templos

Berliner Dom (Catedral de Berlim) Unter den Linden. Ao lado do Altes Museum. Construída em 1904 para ser a principal igreja dos protestantes prussianos em Berlim, abriga também uma cripta com 95 tumbas da família real Hohenzollern. Entrada €2,50/4 (incluindo visita à cúpula).

Mariekirche Unter den Linden É a segunda construção sacra mais antiga da cidade. Iniciada em 1270, apresenta em seu interior o afresco Totentanz- Dança da morte de 2m de altura e 22,6m de comprimento referente à peste negra do séc. 15.

Neue Sinagoge Oranienburger Strasse 39. Incendiada pelos nazistas na famosa Noite de Cristal (9 de novembro de 1938) e totalmente destruída durante a 2ª Guerra Mundial, no local foram reunidos 500 mil judeus antes de serem deportados aos campos de concentração. Hoje mantém-se protegida pela polícia. À tarde, quando o sol bate na cúpula dourada, a sinagoga mostra toda a sua beleza. Entrada €2,50.

 

Praças e parques

Tiergarten A maior área verde no centro da cidade. Não estranhe se no verão algumas pessoas estiverem curtindo o sol do meio-dia de uma forma mais natural, entende?!

Zoo and Aquarium Budapester Strasse. Aberto diariamente das 9h-18h30, Aquário até 18h. Custa €6,50/5,50 (estudante). A entrada principal é o famoso portão dos elefantes, mas você também pode entrar pela lateral, na frente da estação de mesmo nome (Zoologischer Garten). O zoológico apresenta mais de 14 mil espécies, dispersas numa área de 35 hectares. O aquário exibe peixes, répteis e insetos de todas as partes do mundo, com mais de 700 espécies diferentes

 

Arredores

Potsdam é a capital do estado de Brandemburgo. Durma em Berlim e fique um dia nesta cidade, que foi refúgio de verão da família real Hohenzollern. Saindo de Berlim, pegue a linha de metrô S7, até Potsdamer Stadt. Faça um piquenique no parque de Sanssouci e visite o castelo de mesmo nome, a maior atração de Potsdam, e um dos mais belos do país. Conheça também o quarteirão com arquitetura tipicamente holandesa.

 

Compras

Para barganhas, a dica é garimpar nas lojas. Você pode ter boas surpresas. Fique também atento ao período das liquidações de verão (SSV) - Sommerschlussverkauf e de inverno (WSV) - Winterschlussverkauf. Para os mais alternativos, Berlim tem várias lojas de roupas usadas (Second Hand Store). Locais mais em conta são os da Rathaus Steglitz (metrô U9 ou S1), de Alt-Tegel (metrô U6) e Wilmersdorfer Strasse (metrô U7). Lojas mundialmente conhecidas como Hard Rock Café, Harley Davidson, Warner Bros. e Planet Hollywood também têm filiais. A KDW (Kaufhaus des Westens) na Tauentzienstrasse 21-24 é a maior loja de departamentos da Alemanha. Muito cara, mas tem de tudo. A Kurfürstendamm é uma das ruas mais famosas e também careiras de Berlim. Gratuito é caminhar olhando os telhados das casas que são um show à parte. Não perca aos sábados e domingos o Flohmarkt (mercado das pulgas) na estação de S-Bahn Tiergarten.

 

Filarmônica de Berlim

Durante muitos anos o panorama da música clássica na Alemanha foi simbolizado por um homem, uma orquestra, uma cidade: Herbert von Karajan e a Orquestra Filarmônica de Berlim. Fundada em 1882, a Filarmônica transformou-se na melhor orquestra do mundo a partir da chegada desse maestro. Após sua morte, em 1989, o italiano Claudio Abbado entrou em cena e, em setembro de 2002, a batuta passou às mãos de sir Simon Rattle. A sede da orquestra é o Philharmonie am Kulturforum, um edifício construído em 1960 e projetado por Hans Scharoun, que possui a mesma quantidade de ardosos entusiastas e de críticos. Os 2.400 lugares – geralmente lotados – distribuem-se por nove níveis em torno do palco e contam com uma acústica e um ângulo de visão inigualáveis se comparados aos de outras salas de concerto (nenhuma poltrona está a mais de 30m do palco). Compreensivelmente, os assentos mais disputados são aqueles mais próximos do maestro. Durante a realização do Berliner Festwochen (Festival das Semanas de Berlim), que celebra o que há de melhor na música e nas artes em geral, é quase impossível conseguir um ingresso. Gerentes de hotéis mais luxuosos se desdobram para materializar esse milagre para os hóspedes.

Para mais informações, visite www.berlin.de
 

 

Escolha um destino:

Europa
Alemanha
Dinamarca
Espanha
Grã-Bretanha
Holanda
Itália
Portugal
Mais países [+]

África
África do Sul
Marrocos
Mais países [+]

América do Norte
Estados Unidos
Canadá
México

América do Sul
Brasil
Argentina
Chile
Peru
Bolívia
Mais países [+]

América Central
Cuba
Panamá
República Dominicana
Mais países [+]

Oceania
Austrália

Veja também:
Laifis de Turismo

Busca geral:

Curta nossa página nas redes sociais!

Sites da rede:

Sobre Nós | Política de Privacidade | Contrato do Usuário | Fale Conosco

Copyright © 2014 Só Turismo. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Grupo Virtuous.